Os magistrados é que são independentes.

Tiago R. Cardoso - 08.05.2008

Existem nomeações e nomeações, uma boa nomeação tem de trazer alguma polémica.

O ministro da Justiça, Alberto Costa, considerou hoje que a nomeação de um polícia de carreira para director nacional da Polícia Judiciária (PJ) "tem uma base legal clara" e é "uma prova da maturidade da instituição".

Quanto a base legal, não sei, mas presumo que sim, quanto à maturidade, tenho alguma duvidas.

Vamos lá ver, o juiz António Martins, presidente da Associação Sindical de Juízes Portugueses (ASJP), discorda da nomeação de um polícia para o cargo de director nacional da Polícia Judiciária, alegando que um magistrado teria "melhores condições para que a PJ não fosse governamentalizada nem politizada".

Considera portanto, o Senhor juiz, que não sendo um magistrado, todos os outros são facilmente governamentalizados e politizados.

Só os magistrados é que tem a capacidade de serem independentes ?

Quer isto dizer que um policia de carreira é inferior em capacidades de liderança a um magistrado ?

Dor de cotovelo ou inveja ?

Remata em nome pessoal, António Martins, afirmando que "enquanto cidadão se sentiria muito mais descansado se o cargo de director da PJ fosse ocupado por um magistrado".

Presumo que o Senhor António Martins ande um pouco distraído, ao cidadão pouco importa quem lá está, interessa é sentir-se seguro, coisa que tem vindo a desaparecer nos últimos tempos.

5 comentarios:

Peter disse...

Ainda não despiram a toga do corporatismo.

quintarantino disse...

R>eacções corporativas. Mais nada.

missixty disse...

Áté aqui para os lados de Barcelos, nas aldeias andam a assaltar carros parados nos semaforos,à mão armada! No outro dia um senhor ao tentar fugir, foi parar ao hospital com um tiro! Agora quando saio à noite, tranco sempre as portas (apesar disso,ser automatico, a partir de uma certa velocidade) e estou de olho quando tenho de parar em semáforos!
O que interessa é alguém competente e determinado!
beijinhos

Carol disse...

Corporativismo no seu melhor!

Compadre Alentejano disse...

O sr.António Martins é mesmo um corporativista...
Ele tem na PJ, o exemplo dos magistrados que por lá passaram, pior é impossível!
Este sr. já nos habituou a rir sem haver vontade, é mais uma...
Um abraço
Compadre Alentejano