Liberdade de imprensa, afinal, existe!

Quintarantino – 03.05.2008

De acordo com o jornal Público - LIBERDADE DE IMPRENSA – o relatório “Worldwide Press Freedom 2007”, da organização não-governamental Repórteres Sem Fronteiras (RSF), afirma que Portugal está entre os dez países do mundo com mais liberdade de imprensa.
No documento Portugal ocupa a décima posição do “ranking”, a mesma que ocupava há um ano
atrás.

E assim cai pela base a teoria que com o governo de José Sócrates se vive num clima de constante manipulação da agenda mediática.
Aliás, se fosse inteiramente verdade, o nosso Primeiro ou é nabo de todo ou já há muito tinha despedido os controleiros de serviço por não impedirem que as más notícias saíam cá para fora.

Contudo, e à boa maneira lusa, “os representantes da Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC), do Sindicato dos Jornalistas portugueses (SJ) e da Associação Portuguesa de Imprensa (API) ainda criticam a situação da liberdade de imprensa em Portugal, apresentando diagnósticos diferentes da situação actual.”

Vamos a ver o que por aí se diz …
Para Estrela Serrano, vogal do Conselho Regulador da ERC, a liberdade de imprensa em Portugal encontra-se actualmente ameaçada pelas próprias redacções: “Os constrangimentos partem dos próprios jornalistas nos microcosmos que são as redacções”, defendeu

Para Alfredo Maia, presidente do SJ, a concentração da propriedade dos meios de comunicação em grandes empresas e a precariedade no sector são outros entraves à liberdade de imprensa: “A precaridade é um elemento de censura económica e condiciona a liberdade e independência do jornalista”.

Afinal, a coisa é a mesma que no resto do País … patrões a mandarem em tudo quanto é sítio, o pessoal com medo de perder o lugar, os carreiristas a verem se conseguem dar o salto da redacção para um qualquer gabinete de assessoria de imagem …

Nada de novo, pois!
Curiosamente, não vejo muita gente preocupada com os conteúdos e aquilo que é publicado ou dito.

Tenho por hábito comprar o “Público” dia sim, dia sim. O jornal já conheceu melhores dias, mas mesmo assim é do melhor que há.
Talvez o “Diário de Notícias” ande ali a morder-lhe os calcanhares!
O resto, sinceramente, é de uma indigência …
Nos desportivos, então nem se fala!
Quanto aos semanários, quem precisar de toneladas de papel para acender a lareira, faça o favor!
A informação televisiva é o que é … um pisca o olho e quando precisa de vender livros, arma um escabeche!
Na SIC agora temos notícias em dueto a imitar o que muitos lá por fora já fazem, e quanto à TVI qualquer dia vemos um assassinato em directo!
Não faltam jornalistas cheios de boa vontade e repetirem três e quatro vezes a mesma coisa, a darem notícias que são a absoluta negação do que é notícia, cheias de condicionais e de fontes bem informadas, de “diz-se”, de “ouvimos dizer …”, de “provavelmente”, de … enfim.
E a cereja em cima do bolo é mesmo aquela senhora que já foi deputada e hoje tem uma cara que mete medo e que se julga a melhor do mundo … uma Manuela qualquer coisa.

3 comentarios:

antonio disse...

A senhora qualquer coisa � o que precisamos... estamos fartos da humildade e do di�logo de Socrates!

Quanto � liberdade de imprensa em portugal, acredito que exista e que este � um sector de portas estreitas, onde s� entra quem se porta bem e dispensa o olhar atento do dono (perd�o, do patr�o)-

Compadre Alentejano disse...

Como é que pode haver liberdade de imprensa em Portugal, se a imprensa está concentrada e debaixo do poder dos grandes grupos económicos?
Não posso dizer que há uma censura em espaço aberto, de lápis azul, mas há a auto-censura com medo de perder o emprego.
Um abraço
Compadre Alentejano

Tiago R Cardoso disse...

Manuela ? Não estou a ver...

Como em todo o lado, cada um vê as noticias e relatórios conforme o sitio que está.

Os jornalistas vêem a coisa de uma maneira, o governo de outra, a oposição de outra.

Em compensação a grande maioria vê a coisa muito preta, isto anda difícil.