"Quo vadis" jornalismo luso?

Marthin Luther King morrera há quarenta anos e a TSF (uma rádio que considero um modelo de informação) assinalou o facto.
Ia a caminho do trabalho com o rádio sintonizado naquela estação radiofónica quando sou surpreendido por um trabalho que me deixou incrédulo.

É que sem que nada o fizesse prever ou se vislumbrasse o fio condutor da coisa, os nomes de Marthin Luther King e o de Barak Obama surgiam inelutavelmente ligados!

Eu ainda perceberia se fosse para demonstrar que muita da alegada frescura e novidade de Obama não passa de “copy paste” feito a partir do reverendo assassinado ou, em alternativa, para mostrar que King era um pregador de discurso fácil e emotivo, enquanto Barak é mais um dos que tem aquele registo e não sai dali.
É agradável, e mais leve e a soar mais consistente que o de Hillary, mas fraco … pior, só mesmo o tom histriónico do nosso Sócrates que não dá nem um “ai”, nem um “ui” fora de sítio …

Como vos dizia, ainda perceberia que fosse para evidenciar estas fragilidades no novo menino bonito das mentes bem pensantes, mas não, o que resultava daquilo tudo, depois de espremido, era que Barak é o herdeiro de King.
No fundo, alguém quis mostrar para que lado “son couer balance” e meteu-se nestas!

No dia seguinte acordo e ainda vou a tempo de ouvir Pinto da Costa, o presidente do Futebol Clube do Porto (que se sagrou, embora ainda não o seja "de jure", tricampeão), a debitar umas aparvoadas bicadas … daquelas que penso desnecessárias, tendo a mais gravosa das que ouvi sido a de chamar vermes aos que estavam contra o clube … pois a Antena 1 clamava que Pinto da Costa reabrira a guerra Norte/Sul … juntou-lhe depois as bocas que o homem mandou contra o novo aeroporto, o TGV e a nova ponte como se metade da Nação não estivesse contra ou desconfiada de tanta obra e a quase adivinhar o que daí virá de escandaleira e buraco financeiro.

Serve isto para me interrogar de pública forma sobre a qualidade do jornalismo e da informação a que hoje vamos, infelizmente, tendo direito.

O que mais temos hoje em dia é gestão criteriosa de carreiras por parte de vedetas que, no fim, nos piscam o olho; vaidade superlativa e à medida do silicone e do botox que se usa e nos desfigura a cara; brincadeiras e troca de apartes entre um senhor que mesmo de fato não é sisudo e uma senhora que, volta e meia, nos sorri e mostra meia perna em jeito de volúpia … e os basbaques, sentados, mastigam uma bucha e meneiam que sim com a cabeça, que se eles dizem é porque é verdade e que venha depressa a novela ou a bola que isso é que nos alimenta a alma e sustenta a existência arrastada!

21 comentarios:

António de Almeida disse...

-Curiosamente estou de acordo com o meu amigo na 1ª parte do texto, mas em desacordo na 2ª, mesmo sendo um apoiante de Obama, e não sendo portista. É que a primeira peça responsabiliza o jornalista e a estação, por tão absurda comparação, embora seja um copy-paste da imprensa americana, a qual tenho acompanhado, e Obama tem permitido, nem sei mesmo se a colagem ao dr King não terá partido da sua campanha, não assumidamente é claro, pois os votos dos brancos conservadores também são para ganhar. Mas isso não vem ao caso, Hillary também faz jogo sujo, por aí estão quites, o essencial é que a peça que passa na TSF, responsabiliza o jornalista e a estação. Quanto a Pinto da Costa, as afirmações que faz são ridiculas, mas o responsável é o próprio, qualquer orgão de comunicação lhes daria destaque, sem responsabilizar o jornalista e muito menos a estação, que apenas dá tempo de antena a alguém que profere umas bizarrias.

antonio disse...

O que o jornalista não disse é que já o reverendo MLK se opunha a Bush...

Quanto ao Pinto da Csota, saio em defesa da Antena 1: é a oposição que temos!

Manuel Rocha disse...

Muito boa esta reflexão, amigo Quint !

Mas então diga-me lá sff porque é que insistimos em fazer das deles ( média ) a nossa agenda, num mimetismo que chega a ser exasperante ?!

;)

quintarantino disse...

ANTÓNIO DE ALMEIDA permita-me que discorde de si apenas num pequeno pormenor ... as declarações de Pinto da Costa são tão rídículas como as de Luís Filipe Vieira depois do jogo no Bessa.

O que não pode suceder é a ANTENA 1ou quem fez a peça ler nelas o reacendimento da guerra Norte/Sul e levar a coisa ao ponto de querer quase fazer crer que se pediu algum levantamento de rancho contra Lisboa.

Pior, se calhar, foi o que disse Menezes na Madeira ou o Gabriel Drummond que pede a independência incorrendo em crime e sem que ninguém diga nada.

ANTÓNIO a sério?

O Martin Luther King já se opunha ao George W. Bush?

Olha o "furo" jornalístico que tu tens?

Tiago R. Cardoso disse...

Estes são apenas exemplos daquilo que muitos dizem ser jornalismo.

Ouvi na TSF essa comparação embora interpretei não uma comparação entre as pessoas mas a semelhança do discurso adoptado pelo Obama ser semelhante ao utilizado pelo Luther King.

No segundo sinceramente pouco que dizer perante tão grandes dirigentes desportivos.

De facto o jornalismo anda pouco saudável, a concorrência é muita,
factor que deveria fazer uma selecção natural só ficando os melhores, acontece que o que não falta por este país é os armados em jornalistas.

Eu pelo menos estou saturado de algum tipo de jornalismo, que apenas chafurda na lama e de noticias trás pouco.

quintarantino disse...

MANUEL ROCHA leia esta crónica como uma crítica, não como uma mera continuidade do que é a agenda dos cavalheiros!

TIAGO R. CARDOSO ainda há bom jornalismo, mas é um caso raro!

Aquilo que na TSF queriam fazer crer, e aqui o António de Almeida tem razão quando diz que nos States é a mesma coisa, era que Obama é uma novidade absoluta e um herdeiro espiritual de um homem que morreu a tiro e pelas suas convicções.

Pilhar as ideias alheias não me parece que soe a novidade!

Manuel Rocha disse...

Quint,

Foi assim que a li, é assim que Vos leio, mas ainda assim considero que a melhor forma de lidar com a desinformação é não lhe passar cavaco !
Nos dias que correm nada subsiste sem consumidores. E mesmo que critico, um espectador é um cliente da publicidade que é a razão de ser da existência da máquina ( des)informativa. Para eles é indiferente se os elogiamos ou lhes damos porrada, desde que sejamos "fiéis" consumidores.
Levassem todos eles com uma "greve de zelo" do consumo e veria se não mudavam o registo...:)

Dalaila disse...

O Barak Obama tem o sonho de se assemelhar ao Grande Martin Luther King.

Tiago R. Cardoso disse...

Sente-se um clima de tempestade no ar...

Carol disse...

Tinha deixado aqui um testamento e o blogger deu cabo dele! Bolas!
Agora, não tenho tempo para repetir tudo... Em suma, o jornalismo anda pelas ruas da amargura. Ele é noticiários quase iguais de canal para canal, notícias de teor completamente absurdo, calinadas a torto e a direito e o empolgar de declarações insultuosas e pouco interessantes de muita gente. Normalmente, pessoal que em nada contribui para a melhoria do país.

quintarantino disse...

MANUEL ROCHA eu sei que nos lê da forma que diz. Eu sei ...

No mais, eu sempre que posso tento cruzar informação e tenho por hábito ler várias publicações, ouvir duas ou três rádios e ... mesmo assim!

DALAILA ai que a menina está sibilina como o Professor Marcelo ... pé ante pé, acaba de chamar pequeno ao Barak ... não desgostei!

quintarantino disse...

TIAGO R. CARDOSO tempestade no ar porquê?

CAROL o que interessa é o sensacionalismo e a intrigalhada ...

Blondewithaphd disse...

Engraçado que o debate sobre jornalismo venha do séc. XIX e ainda não chegámos a consenso nenhum sobre o que é jornalismo!
Will we ever?

Compadre Alentejano disse...

´
E um fim de semana para esquecer, tanto no campo futebolístico, político ou jornalístico. Foi mau de mais para ficar alguma coisa como referência...
Um abraço
Compadre Alentejano

Miguel Ângelo disse...

Meu caro amigo, Quintino, tenho imenso respeito e consideração por ti, mas, por favor, não te admito a dizer "mal" de Obama, o candidato, que apoio nestas presidenciais. Não sejas mauzinho pra mim...
O HOMEM merece ganhar, eu estou com ele...
Um abraço de Miguel Ângelo

Miguel Ângelo disse...

Quintino, belo texto o teu igual a ti próprio...
Miguel Ângelo

quintarantino disse...

BLONDEWITHAPhD como diria o Mário Lino, "jamais"!

COMPADRE ALENTEJANO o amigo e compadre desculpe mas nem tudo foi para esquecer ... por estes lados ele há quem seja azul e branco ... como é o caso aqui do subscritor.

Sniqper ® disse...

Será que existem modelos de Comunicação Social? Penso que não, simplesmente porque se tal facto acontecer deixa de ser uma forma isenta e passa a ser mais um modelo controlado como outro impresso que só serve para aquilo que serve, para entulhar prateleiras e cair no esquecimento, isto claro quando se trata dos fortes e não dos fracos.
Quanto aos Estados Unidos e a dança das eleições, só tenho a dizer uma coisita, lixo. Se um é um produto bem fabricado, fazendo reviver todas as lutas passadas a outra nem falo, só espero que não vá repetir, isto no caso de ganhar, as lindas cenas que o marido fez, digo eu, porque de facto já nada me admira em politica.
No que diz respeito aqui ao nosso Portugal, começando por um isolado numa ilha que ameaça o Poder Central com a independência, no caso de não lhe fazerem as vontades, já o outro, coitado na sua prepotência habitual fomenta guerra Norte vs Sul, enfim talvez sejam influências dos filmes do passado dos Estados Unidos.
Vamos de facto ver como ficam as modas, nos States que se lixem que de mal já eles fizeram e continuam a fazer, por aqui espero ver o resultado desse tão falado processo, porque afinal sempre existe algo de mal no futebol, isto para já não falar de uma coisa que desconhecia, prostituição! Existe?

quintarantino disse...

MIGUEL ÂNGELO a consideração que me mereces e o facto de te teres duplicado levam-me a responder-te individualmente ... cada um apoia quem quiser meu caro, e nem é isso que está em questão. Bem sabes que o que pretendia era abordar a complacência generalizada com que Obama tem sido tratado.

No mais, nada a opor e obrigado pelo elogio.

quintarantino disse...

SNIQPER não é a questão de existirem modelos, antes de não existirem pretensos líderes de opinião dentro da própria Comunicação Social mas que se querem ver como independentes.

Quanto aos Estados Unidos "trash" ou "no trash", o problema é que eles têm a tendência a causarem sarilhos no quintal alheio e a assobiarem para pedir ajuda do resto da turma ...

Tirando o aspecto moral e ético, que nem será tão irrelevante mas que foi esmiuçado até ao tutano por um Starr apostado em conseguir um culpado fosse como fosse, a verdade é que Bill Clinton deixou os EUA num clima de prosperidade e superavit que recorda a todos que "it's the economics, stupid!" (cuidado que esta do "stupid" não é para ninguém que aqui escreveu) ...

Se na berma das estradas e nos condomínios de luxo existem putas e prostitutas, porque não as existiriam no futebol?

Sniqper ® disse...

Caro Quin,
Líderes, independentes, modelos e afins é tudo farinha que serve para o mesmo, fabricar pão de má qualidade, no caso leia-se informação manipulada.
No caso do Estados Unidos eles que vivam com as tendências deles, porque se vamos atrás de todos os assobios, então deixamos a inteligência em casa e só levamos os ouvidos para a rua. Se o Tio Clinton foi de facto tão bom, ora vamos seguir o modelo dele, simples e eficaz, basta colocar a secretária na posição certa!
Quanto a prostituição fico de facto admirado, então não deveriam essas e esses profissionais estarem devidamente legalizados?
Passarem recibos verdes pelos serviços prestados?
Pagarem impostos como os restantes trabalhadores?
Afinal são a base de um processo judicial ou estarei enganado?