O fascinante mundo dos números.

Embora, por incrível que pareça, fosse muito bom em programação informática, não valia nada em matemática. Era o meu calcanhar de Aquiles!

Muitos diziam que para se ser um programador tinha de se saber matemática, no entanto fazia as coisas por instinto, quase sem pensar e saia-me bem… e facilmente me desenrascava!

No entanto, os números fascinam-me, estão em todo o lado e comandam a nossa vida, são os nossos donos.

Moeda, percentagens, défices, juros, Produto Interno Bruto, calendários, horas… tudo se resume a números.

Fascinam-me todos aqueles números cheios de zeros, que todos os dias são lançados para o ar por economistas, pelo José Sócrates e pelo seu Governo, por todos os políticos que os apresentam da forma que lhes dá mais jeito.

Fascinam-me os números dos salários de gestores e outros "importantes", comparados com os números que um trabalhador recebe no final do mês, se é que recebe algum, pois muitos recebem um "valente" zero.

Fascinam-me as taxas de juro e toda aquela "pobreza" que são os lucros dos bancos, que "coitados" se vêem obrigados a aumentar o preço dos serviços de forma a terem dinheiro para comprar a sopa do almoço do Conselho de Administração!

Fascinam-me os prazos de pagamento, dizem que temos de pagar algo até um certo dia, senão temos direito a pagar juros ou então a receber uma carta de "amizade" a lembrar que nos esquecemos de algo, terminado com uns cumprimentos de um fulano, que assina sempre em cima de um engenheiro, doutor...

Fascina-me um Estado que exige o cumprimento das obrigações por parte do cidadão, mas que se esquece de prazos e juros, muitas vezes não aceita reclamações sequer.

Fascinam-me os prazos para as obras de regime, aquelas que são lançadas agora, serão inauguradas daqui a uns anos e quem vier que pague a conta.

Fascina-me, e deixa-me lixado, estar à espera desde Janeiro de uma resposta sobre se me pagam ou não uns euros que eu solicitei ao Estado, mas se eu na data certa não apresentar o meu IRS, bem que estou lixado!

Os números fascinam-me e muitos fazem-me chorar de raiva.

17 comentarios:

Manuel Rocha disse...

Hummm...relação tipicamente amorosa, Tiago: fascinação e raiva !

Acho que tem "caso" para a vida !

:))

Carol disse...

Ó Tiago, vai lá emendar o Produto Interno Bruto! Agora a chamar-lhe Brito! Depois, não queres que o Estado se chateie!

E o que são quatro meses de espera? O prazer que vais sentir depois será muito, muito maior... ;)

Sniqper ® disse...

Será do desconhecimento da opinião pública os atrasos de pagamentos pela parte do Estado?
Alguém reclama no local devido e no respectivo livro ou simplesmente fica caladinho com medo da retaliações?
Enquanto o silêncio provocado pelo medo continuara a reinar, mais e mais vamos levar, como tal para falar, para agir, para mudar usem as armas certas. A coragem e a determinação de lutar para modificar sem ser preciso os habituais iluminados dos partidos debitarem conversas inúteis, não será?

quintarantino disse...

Existem prazos fixados legalmente em matéria de pagamentos e muitos são os casos em que são respeitados.

O problema é quando não há liquidez ou quando se usa de um subterfúgio como é o caso da maior parte das comparticipações financeiras de âmbito comunitário ou via Orçamento ... só pagamos contra recibo!

Quer dizer, o Estado compromete-se a apoiar financeiramente esta ou aquela entidade ou actividade, as entidades candidatam-se a apoios mas têm de arcar com todas as despesas para depois receberem quando quiserem pagar e sem que possam reclamar juros!

Eu vi contratos assim onde fica terminantemente proibido que se reclame o pagamento de juros no caso dos prazo de pagamento serem ultrapassados ...

E depois, experimentem reclamar pela via judicial e vão ver por quanto vos fica a festa!

Compadre Alentejano disse...

Contra o fisco é muito ingrato reclamar. Ainda hoje me recordo que nos anos 80, um amigo meu pretendeu reclamar das Finanças por qualquer motivo e, certamente, teria razão para isso.Apresentou-se na repartição para fazer a respectiva reclamação, o funcionário foi todo amabilidades, ao mesmo tempo que o ia aconselhando a não fazer a queixa, senão passava a ser fiscalizado mais vezes. Acrecente-se que este meu amigo é comerciante...
Os números são como o copo meio, para uns está meio cheio e para outros meio vazio...
Um abraço
Compadre Alentejano

Carla disse...

normalmente não me fascinam os números, mas percebo alguma da tua inquietação por estes números que nos apresentas
bjs

António de Almeida disse...

-Os números, fascinantes ou não, condicionam toda a gente. Eu que o diga, passei o último mês diante de números, face a um investimento que estou a realizar, por azar passei todo este fim de semana no computador, no sábado a trabalhar, no Domingo a partir a cabeça com o raio do blogger. Se tivesse juízo nem teclava durante uma semana, mas o vício fala mais alto.

Blondewithaphd disse...

Números, hein?! Not my cup of tea;)

Sniqper ® disse...

Gostei muito de ler uma frase escrita num comentário, no caso do Quin...

E depois, experimentem reclamar pela via judicial e vão ver por quanto vos fica a festa!

Afinal quem e o que andamos nós a sustentar? Sabem?

O Guardião disse...

O sistema ERA binário, tinha zeros e uns, agora como eles são uns gajos porreiros, abafaram os UNS e deixaram-nos os ZEROS.
Os fulanos são barras em contas, então não é verdade que martelando o défice, aumentam os SEUS lucros? Chamem-lhes parvos.
Cumps

quintarantino disse...

Eh pá ... a mim, não é.
Mas Sniqper olhe que é verdade ... em custas processuais e preparos é cada tiro!

C Valente disse...

Os numeros, são frios muito e nada nos diz, são numeros
Saudações amigas

TCHI de Tchivinguiro disse...

Pois... os algarismos seduzem, mas também estonteiam.

Abraço.

Paulo Vilmar disse...

Tiago!
Os números surpreendem, nas mãos do governo dizem uma coisa, nas mãos da oposição, outra, para os economistas, uma terceira, sociólogos, mais interpretações, políticos, números e porcentagens e para nós, divisões do zero...
Abraços!

bluegift disse...

Pois é, Tiago, o fascínio dos números... Eu prefiro a Matemática! Para os números, que me valha o meu JD! Programação? Demasiado Chato! O meu "negócio" nesse domínio fica pela vertente da "linguagem" da programação.

joshua disse...

Um grande abraço bem grato, Tiago, pelo teu apoio ontem. Instalei o anti-v que me recomendaste. E penso que a questão seria mesmo um worm Troian invasor. Percebo pouco disto. Enviei um e-mail ao Twingly. Até agora sem resposta.

Percebo pouco de tudo. Mas percebo bem que 190 euros de Internet a pagar, na minha situação tão precária, é simplesmente devastador e desmoralizador.

Ontem, só as tuas palavras interessadas e amigas me devolveram esperança e me ajudaram concretamente.

Tenho de matar este meu desalento.

PALAVROSSAVRVS REX

antonio disse...

Meu caro Tiago, conto-te um segredo: para aumentar as taxas cobradas pelos serviços prestados, não é preciso saber-se de números, é mesmo só desfaçatez... e um povo pacato.