Há gente que é impossível que seja ... gente!!!

Certamente que William Golding, autor do digno de reler “O Deus das Moscas”, nunca passou pelas mãos da maior parte dos adolescentes de hoje.

Nem em Portugal, nem nos Estados Unidos.
Desconfio até que, em ambos os países, até a maioria das mãos adultas nunca tiveram oportunidade de folhear semelhante título.
E é pena, pois que a obra retrata como é possível um grupo de jovens regredir até atingir um estado de selvajaria a raiar quase a encarnação absoluta do Mal.

Lembrei-me deste livro quando vi a bárbara agressão a que foi sujeita uma adolescente norte-americana, de seu nome Victoria Lindsay, por parte de uma matilha que supostamente era constituída por pessoas que ela conhecia e com quem teria algum relacionamento. Senão mesmo de amizade.

Pois, dando provas que a mente humana, nalguns casos, é um novelo pior que o nó górdio, aquelas criaturas não arranjaram melhor passatempo que espancar violentamente a adolescente tendo-a levado à inconsciência e, depois desta recobrar os sentidos, agredindo-a novamente. Segundo sei, a jovem sofreu uma concussão cerebral e, neste momento, sofre de problemas auditivos e visuais quiçá irreversíveis!

Vendo aquele, confesso, deu-me um nó no estômago.
Como é possível que uma horda inteira de seres, aqueles a quem iremos entregar o futuro da Humanidade, aja daquela forma?
Como é possível que uma horda inteira de seres não encontre melhor forma de diversão que filmarem agressões como as que vimos nos EUA ou, mais próximo de nós, na Figueira da Foz para depois partilharem tais façanhas nos YOUTUBES’ deste mundo?

Serão estes comportamentos que estes energúmenos imaginam como o “nec ultra plus” da coragem?

E como se deve reagir ante situações destas?
Na Figueira da Foz, à boa maneira lusa, primeiro tentou abafar-se a coisa, depois meteu-se o agressor a fazer 15 dias de serviço comunitário e ficou a saber-se que, mais uma vez, as nossas comissões de protecção a crianças e jovens em risco são muito eficazes pois foi-nos dito que este era um caso que já estava referenciado!
Somos um espectáculo.
Olá se somos … referenciamos tudo e mais alguma coisa, agora quanto a agir …

Nos EUA, mal vi a coisa, logo pensei: “Isto dá romance e do grosso!”
E pode dar mesmo pois o Procurador lá do sítio admite prisão perpétua!

Penso que não é preciso tanto exagero.
Talvez um meio termo que contemplasse, a leitura de outra título sugestivo por parte daqueles anormais: “Se isto é um homem”, de Primo Levi.

E não me peçam que retire qualquer epíteto, nem me venham com as playstation´s ou os jogos de computador …
Admitindo que aquilo é gente, até Thomas Hobbes desdenharia conhecê-los!
Mas se aquilo é gente ...

18 comentarios:

Sniqper ® disse...

Mas se aquilo é gente...
Uma interrogação fácil de responder, claro que é gente, essa que nós criamos e deixamos solta e livre!
Quando vivemos numa sociedade que tudo permite, que incentiva a violência em cada imagem, o que se pode esperar, normalidade?
Estamos simplesmente a colher o que durante séculos fomos criando, predadores.
Na natureza só existe um animal que come mais que o necessário, o homem.
Como tal na sua caminhada cega, onde todos no encolher de ombros e no pensar que é suficiente como punição a privação da liberdade, continuamos a deixar a porta aberta para a reprodução destes animais sociais. Até quando pergunto eu?

Manuel Rocha disse...

Claro que é gente ! Gente também é assim !

Espanta-me tanto espanto ! Onde anda a nossa memória que deitou para arquivo morto tantas cenas passadas e não filmadas ? É possível que alguns papás dos meninos do filme Quint, ainda tenham participado naquela espécie de desporto nacional americano de fds que era a caça ao preto vestidos de branco. Se houvesse o tube e a tv decerto teriam tido a maior gosto em divulgar as façanhas. Desde que temos tv e similares parece que a realidade mudou. Não subscrevo isso. Acho que anda apenas melhor divulgada.

Blondewithaphd disse...

"Lord of the Flies", good choice Quinn!
Eu cá não me admiro nada! Eu vejo cada cena de menino e menina mal-educados que já acredito em tudo. Disciplina, meus filhos, disciplina é tudo!

Manuel Rocha disse...

Blonde, Carissima:

Diciplina será um dos pilares, mas não é tudo, por Toutatis!!! Os exércitos do Nazismo eram disciplinados, e no entanto...A Africa do Sul onde o Quint viveu era disciplinada, e no entanto...O salazarismo também não desprimou na disciplina, porém...
Logo, teriamos que falar em VALORES sem relativismos. Teriamos de começar por falar de ÉTICA sem relativismos. Certo ?

Carol disse...

Gente não é certamente...

Para ser gente é preciso ter ética, valores. Não é só a capacidade de raciocínio que nos distingue dos animais. Desculpem a sinceridade, mas isto que aí anda são bichos. Bichos do pior, porque os animais agridem e matam para sobreviver ou para se defender.

E é nisto que o mundo se está a tornar!

Tal como a Blonde, não tenho pejo em afirmar que a disciplina é a base de tudo!

O Guardião disse...

Não conheço o autor referido, mas tomei conhecimento dos factos relatados. Penso que o afastamento cada vez maior entre pais e filhos, tem grande influência na crise de valores destes jovens, mas também a sociedade atravessa uma grande crise de valores, onde o sucesso, de notoriedade e económico, se sobrepõem à ética e à sã convivência entre humanos.
Veio-me à memória o título de um filme bem antigo, "O mundo cão", que se aplica cada vez mais ao tempo em que vivemos agora.
Cumps

JOY disse...

Concordo com a Blonde ,Disciplina,educação,e atenção aos nossos filhos,quandos os paizinhos e mãezinhas ,deixam a educação das crias a cargo de uma qualquer televisão ,dias ,semanas ,meses,anos a fio pode dar neste resultado.

Joy

Blondewithaphd disse...

Manel,
O que é que a disciplina educacional tem a ver com esses "ismos"?
A mania de fazer as vontades todas aos miúdos, a mania de que os pais têm de ser amigos(?!), a mania de criar os filhos ao Deus dará, sem regras , sem horas para nada, a mania de não contrariar as crianças, a mania de lhes facilitar a vida, isso é que é indisciplina educacional.

quintarantino disse...

SNIQPER caríssimo, óbviamente que são gente mas ou com um sentido muito distorcido do que é o BEM e o MAL ou completamente amorais, que é coisa bem pior!

Presumo que se inclina mais para as teses do autor de Leviatã do que para as do Bom Selvagem!

MANUEL ROCHA então não é de nos espantarmos?

Em jovens com 14 anos como uma das adolescentes?
Eles não têm a menor das noções do que é que para ali estão a fazer?
Agora uma alegadamente desculpa-se com insultos no MYSPACE ...

Já viu que se nos tempos auréos do Ku Klux Klan não tivesse havido quem se espantasse, se calhar eles ainda andariam a enforcar pessoas?

quintarantino disse...

BLONDEWITHAPhD e MANUEL ROCHA não sei, não ... olha que há coisas em que há disciplina e os rebentos, quando à solta, são uns energúmenos do pior!

Disciplina por disciplina, sem noção de valores, também os tipos da "AlQaeda" à têm ...

Agora, que quando os progenitores toleram tudo aos meninos e os deixam fazer o que lhes apetece sob a capa do "amoroso, ai que rico" que não estão a ajudar, ai isso não!

quintarantino disse...

CAROL É preciso ter ética, valores....

Aqueles, se os têm, têm-nos muito retorcidos!

O GUARDIÃO A alinça entre a ausência de regras em casa e a volatilidade de valores na sociedade são bem capazes de explicar alguma coisa ...

lusitano disse...

Bem, parece que de uma coisa não temos grandes dúvidas: é que a falta de ética e valores, acompanhada de uma cada vez mais falta de acompanhamento dos jovens, pela manifesta falta de tempo dos pais preocupados com as "urgências" deste mundo, levam a coisas como estas.
Mas, correndo o risco de levar porrada de todos os comentadores, tenho para mim que o acesso indiscriminado e sem quaisquer regras a um bem tão extraordinário como a liberdade de expressão, caso do youtube e outros, levam a que o chamamento da "fama", acabe por passar por cima das mais elementares regras da sociedade.
E não é só nos jovens, mas também nos adultos...
Como fazer? Ah, bem isso não sei, mas que é preciso pensar muito bem no assunto, disso não tenho dúvidas...

Compadre Alentejano disse...

Esta gente é boa para claque de futebol. Aí, arreiam à vontade, levam também umas boas bordoadas, e não se queixam.
Aconselho a visitar o blogue feito pelos alunos duma escola de Aljustrel, sobre o bullying.
www.sembullying.blogspot.com
Um abraço
Compadre Alentejano

quintarantino disse...

LUSITANO essa ânsia pelos cinco minutos de fama é mais um dos elementos de um "cocktail molotov" que não cheira nada bem!

COMPADRE ALENTEJANO nem no futebol acho que merecem estar!

O link que forneceu é interessante. Aconselho.

Zé Povinho disse...

Há comportamentos que não consigo qualificar, mas também eu acho que a sociedade em geral está a falhar na tarefa educativa, a começar pelas nossas casas.
Abraço do Zé

Tiago R. Cardoso disse...

É o espelho do mundo que temos, um mundo onde os valores cada vez mais se resumem a famas e bens materiais.

A educação, por parte dos pais, muitas vezes resume-se a dar-lhes um dinheiro, um telemóvel, uma playstation e que não façam muito barulho.

Ainda bem que alguns tem a capacidade para ver que existe algo mais que isto que temos, acredita que investir nos filhos, educá-los, passar tempo com eles, os transformará em adultos melhores e dai uma sociedade melhor.

mac disse...

No "Deus das Moscas" chegou-se à conclusão que faz parte da natureza humana ser mau, que é essa a nossa verdadeira natureza. O ser bom é meramente um conceito imposto pela sociedade dita civilizada, numa sociedade sem regras, sem entraves, sem lei, polícia ou pais, é o lado mau que emerge. Por isso, o livro adapta-se como uma luva a esses jovens de hoje em dia.

Peter disse...

Vive-se uma cultura de horror e violência. Nos meus tempos de menino, deliciava-me com o Disney, agora são desenhos animados que até "metem medo ao susto". E desde, muito cedo as crianças vão-se habituando, dias inteiros a ver TV, ou a brincar com as "play-stations" que são, na maior parte, violentas.

As nossas leis são demasiado permissivas. Na Inglaterra houve o caso de duas crianças julgadas e condenadas pelo assassínio de outra. Nos EUA passou-se o que se passou e irão certamente sofrer pesadas penas.