Subsidio de férias

Ao contrário de muitos portugueses, incluindo o Sr. Sócrates e a Sra. Ministra da Cultura (caso contrário teriam passado por Coimbra), eu não tenho férias.
Como tive um acidente de trabalho, estou à quatro meses em casa.
Até aqui nada de especial.
Todos os meses recebo o meu salário pela seguradora (já falei nisso anteriormente), mas o subsidio de férias é pago pela minha empresa. Ora, chegou o final do mês e... nada...
Pensei eu, será que se esqueceram?
Perguntei à direcção e a resposta foi simples, segundo a lei os subsídios são pagos quando o trabalhador regressar ao trabalho.
Raios e eu que andava a planear uns investimentos, mas se a lei permite, quem sou eu para contrariar?
A questão que se coloca é a igualdade dentro da empresa. O encarregado geral, no ano passado, esteve de baixa nove meses (tendo apanhado as férias e o Natal) e eu tive conhecimento que ambos os subsídios lhe foram pagos na mesma altura que aos outros funcionários.
No meu caso, não é muito complicado, eu não tenho hipóteses de ir de férias.

Fixador : Então e aqueles que não indo de férias, porque não têm dinheiro e aproveitam estes subsídios para tentar compor, monetariamente, as suas vidas?
Fixador : Espero que este tipo de lei não se aplique a quem precisa.

3 comentarios:

C Valente disse...

Há sempre duas medidas, aqui o pior é a empresa que se aproveita das falhas da lei, pois como indica o critério não é umiforme como sempre há os filhos e os enteados. pois a lei é igual para todos ou devia ser,
obrigado pela visita
Saudações amigas

©õllyß®y disse...

Assim anda o Mundo a piorar a cada dia...

Doce beijo

antonio disse...

Meu caro encarregado é encarregado! É por isso que a moral está em perigo, já nã se respeita ninguém! A lei é igual para todos mas o respeitinho é muito bonito